Categoria: Linhas de Pesquisa

Entrevista com Karl Marx, o fundador do socialismo moderno

Karl Marx 14 mar 2018 Em dezembro de 1878, a Chicago Tribune publicava entrevista com uma das maiores personalidades da modernidade: o filósofo Karl Marx. Publicado originalmente em: https://movimentorevista.com.br/2018/03/entrevista-com-karl-marx-o-fundador-do-socialismo-moderno/ Karl Marx, fundador do socialismo moderno, mora numa pequena casa em Haverstock Hill, bairro do noroeste de Londres. Banido em 1844 de sua pátria, a Alemanha, … Continuar lendo Entrevista com Karl Marx, o fundador do socialismo moderno

Em um mês, o equivalente a 5 mil campos de futebol foram desmatados na Bacia do Xingu

Destruição da floresta é resultado da abertura de áreas para garimpo, exploração agropecuária e grilagem de terras O ritmo de desmatamento em março aumentou na Bacia do Xingu. Mesmo no inverno amazônico, debaixo de forte chuva, 5.238 hectares de vegetação natural foram destruídas em apenas um mês para exploração garimpeira, grilagem de terras, pecuária e … Continuar lendo Em um mês, o equivalente a 5 mil campos de futebol foram desmatados na Bacia do Xingu

Transgênicos: expectativa do fim da rotulagem retoma debate

Senado está prestes a votar mudanças. Brasileiros temem a falta de segurança do consumo, mas preocupação com saúde individual pode ofuscar os grandes problemas Por Raquel Torres, do Outra Saúde O debate sobre alimentos transgênicos voltou a se aquecer no Brasil com a evolução da tramitação, no Senado, do projeto de lei que altera a rotulagem … Continuar lendo Transgênicos: expectativa do fim da rotulagem retoma debate

Bancas de Defesa de Doutorado – FEVEREIRO – 2018

Bancas de Defesa de Doutorado - FEVEREIRO - 2018

A ONTOLOGIA DO TRABALHO NA CONSTITUIÇÃO DA UNIDADE SOCIEDADE/NATUREZA: POTENCIALIDADES E ALTERNATIVAS NA CONSTRUÇÃO POSITIVA DA PRÁXIS SOCIAL

Para entender o ser social em sua ontologia é necessário partir da leitura do trabalho como mediação da relação homem/natureza, trabalho que nasce da necessidade e da luta do homem pela existência, de maneira que, as formas variadas de trabalho modificam-se ao longo do processo histórico. No sistema do capital o trabalho é apropriado para extração de mais-valor, no entanto alguns sujeitos sociais, os povos do campo, das águas, das florestas em sua relação sociedade/natureza, tem a terra e a água como garantia de vida, construindo relações não capitalistas a partir da produção do espaço e de si mesmos, de maneira que o trabalho representa possibilidade de resistência ao capital. Torna-se necessário analisar até que ponto a essência ontológica do trabalho permanece como possibilidade de resgate da essência do trabalho em sua condição humana que rompe com a coisificação que o processo de alienação remete ao desenvolvimento social.