Categoria: Artigos

DADOS E ANÁLISES ATUALIZADAS SOBRE A LUTA PELA TERRA E PELA REFORMA AGRÁRIA NO BRASIL – BOLETIM MARÇO 2018

DADOS E ANÁLISES ATUALIZADAS SOBRE A LUTA PELA TERRA E PELA REFORMA AGRÁRIA NO BRASIL ISSN 2177-4463 Caríssimo(a) senhor(a), tomamos a liberdade de enviar o boletim, em anexo, por considerá-lo de vosso interesse. Constando artigo de Guilherme Delagado: A NOVA VERSÃO DA CONTRARREFORMA DA PREVIDÊNCIA Guilherme C. Delgado Associação Brasileira de Reforma Agrária - ABRA … Continuar lendo DADOS E ANÁLISES ATUALIZADAS SOBRE A LUTA PELA TERRA E PELA REFORMA AGRÁRIA NO BRASIL – BOLETIM MARÇO 2018

Desmedida do valor, Estado de “mal-estar” social e crise do capitalismo global: reflexões críticas sobre o fardo do tempo histórico

A crise do capitalismo global a partir de 2008/2009 colocou novas contradições econômicas e geopolíticas para o manejo da programática neodesenvolvimentista que levou, no caso do Brasil, ao golpe de 2016.

A ONTOLOGIA DO TRABALHO NA CONSTITUIÇÃO DA UNIDADE SOCIEDADE/NATUREZA: POTENCIALIDADES E ALTERNATIVAS NA CONSTRUÇÃO POSITIVA DA PRÁXIS SOCIAL

Para entender o ser social em sua ontologia é necessário partir da leitura do trabalho como mediação da relação homem/natureza, trabalho que nasce da necessidade e da luta do homem pela existência, de maneira que, as formas variadas de trabalho modificam-se ao longo do processo histórico. No sistema do capital o trabalho é apropriado para extração de mais-valor, no entanto alguns sujeitos sociais, os povos do campo, das águas, das florestas em sua relação sociedade/natureza, tem a terra e a água como garantia de vida, construindo relações não capitalistas a partir da produção do espaço e de si mesmos, de maneira que o trabalho representa possibilidade de resistência ao capital. Torna-se necessário analisar até que ponto a essência ontológica do trabalho permanece como possibilidade de resgate da essência do trabalho em sua condição humana que rompe com a coisificação que o processo de alienação remete ao desenvolvimento social.

PEGADA – A Revista da Geografia do Trabalho v. 18, n. 3 (2017)

PEGADA - A Revista da Geografia do Trabalho acaba de publicar seu último número em http://revista.fct.unesp.br/index.php/pegada. Convidamos a navegar no sumário da revista para acessar os artigos e itens de interesse. Agradecemos seu interesse em nosso trabalho, Fernando Mendonça Heck Instituto Federal de São Paulo, IFSP, Tupã, São Paulo, Brasil fernanddoheck@hotmail.com PEGADA - A Revista da Geografia … Continuar lendo PEGADA – A Revista da Geografia do Trabalho v. 18, n. 3 (2017)

IDEOLOGIA, MEMÓRIA, ESQUECIMENTO E AS  RESSIGNIFICAÇÕES DOS LUGARES

IDEOLOGIA, MEMÓRIA, ESQUECIMENTO E AS RESSIGNIFICAÇÕES DOS LUGARES

IDEOLOGIA, MEMÓRIA, ESQUECIMENTO E AS  RESSIGNIFICAÇÕES DOS LUGARES, PROFESSORA ALEXANDRINA LUZ CONCEIÇÃO.   O presente artigo objetiva refletir o confronto memória-esquecimento no espaço do poder e o poder no espaço, a ideologia e as ressignificações dos lugares. Consideramos que os lugares de memória são uma construção histórica e o interesse que despertam vem, exatamente, de seu valor como documentos e … Continuar lendo IDEOLOGIA, MEMÓRIA, ESQUECIMENTO E AS RESSIGNIFICAÇÕES DOS LUGARES

Contradições do Capitalismo: Entrevista com David Harvey

Contradições do Capitalismo: Entrevista com David Harvey

    Baixar entrevista Click no link abaixo Contradições do Capitalismo entrevista com David Harvey

David Harvey discute a geografia do capitalismo, a compreensão da cidade como uma arena de luta política e a transformação das práticas imperialistas

David Harvey discute a geografia do capitalismo, a compreensão da cidade como uma arena de luta política e a transformação das práticas imperialistas

RESUMO Essa entrevista com o professor David Harvey foi publicada originalmente no site Theory Talks. O nosso objetivo foi realizar a sua tradução e a inclusão de notas de rodapé apresentando alguns conceitos e ideias trabalhados pelo autor e por outros. Theory Talks é um fórum interativo voltado para a discussão sobre os debates da … Continuar lendo David Harvey discute a geografia do capitalismo, a compreensão da cidade como uma arena de luta política e a transformação das práticas imperialistas